Relaxamento

BENEFÍCIOS DO RELAXAMENTO

A atividade frenética do cérebro influencia o corpo todo, ativando nervos, hormônios, músculos, tecidos e órgãos. Cria-se um ciclo de autodesgaste, pois em estado de estresse, nervosismo e ansiedade, a frequência de nossas ondas cerebrais tende a subir, e quanto mais altas, menor a acuidade dos sentidos, o que nos torna mais desatentos, desastrados e bloqueados.
Quando a mente se acalma e a pessoa é capaz de desacelerar ou fazer cessar atividades mentais desnecessárias (fantasias, críticas, autopiedade, diálogo interno improdutivo), que preenchem a maior parte dos nossos dias, as células e tecidos do cérebro e do corpo podem repousar e recuperar-se, gastando menos e armazenando mais energia. O padrão de nossas energias se eleva, e os assediadores “caem fora”, pois as energias sutis não são percebidas pelas consciências mais densas e quanto melhor o padrão de nossos pensamentos e de nossos sentimentos melhores as companhias espirituais que atraímos. O relaxamento libera o cérebro para captar e reagir a um padrão mais sutil de energia, agindo, então, na promoção da nossa saúde.
Por meio do relaxamento, aprendemos a nos conhecer de modo mais completo, ouvindo-nos e respeitando-nos, e assim, liberamos a inteligência da mente e do corpo para aprender melhores meios de atingir nossos objetivos, aumentando em muito nossa qualidade de vida.
A prática do relaxamento traz clareza mental, ampliação da memória, equilíbrio emocional, bom humor, saúde e aumento da auto-estima.
Um bom relaxamento é um momento de encontro consigo, feito através do foco na respiração, no corpo e no estado mental.
Ao ficarmos mais atentos a tudo, aumentamos nossa capacidade de usar a intuição e de decidir acertadamente. Intuir nada mais é do que enxergar melhor as coisas que acontecem lá fora, olhando para dentro.
Há uma técnica bem simples que pode ser usada no dia-a-dia, principalmente quando o tempo está curto: Procure ficar sozinho e sem interrupções por pelo menos 10 minutos. Sente-se em posição confortável e preste atenção à sua respiração. Fique assim, desfrutando desse momento, sem desviar seus pensamentos. Você vai estar no momento PRESENTE, e nada melhor do que isso para manter uma boa condição física e espiritual.

Depois de escolher e se acomodar no local adequado, feche seus olhos; respire (inspire e expire) pelo nariz, com total atenção ao seu corpo. faça uma série de 6 respirações bem calmas, lentas e profundas; para facilitar, conte mentalmente a sequência respiratória de 1 a 3, depois de 3 a 1. Sempre inspirando e expirando calmamente. Encha bem os pulmões e o diafragma, quando inspirar sinta seu abdome se expandindo e quando expirar, sinta ele se contraindo.
Verifique onde estão os pontos de tensão e relaxe-os um a um. Para tal, focalize os pés, as pernas, os quadris, o tronco, as mãos, os braços, o pescoço, as faces, a cabeça; sempre nesta sequência.
Neste relaxamento, podemos adicionar os benefícios da musicoterapia; assim, antes de iniciar o relaxamento coloque uma música bem suave, tranquila, com ritmo linear, tipo música new age (nova era). Ela servirá para atingir mais rápido o estado de relaxamento profundo.
Simplesmente fazendo estes exercícios de respiração você se sentirá muito bem.
Se intuir, faça este exercício quantas vezes achar necessário no seu dia.
Após fazer o exercício, retome sua respiração normal e calmamente abra seus olhos.

Fonte: Revista O atma nº 192 – Julho 2016
DESCANSAR O CÉREBRO APÓS
APRENDIZADO DEIXA A MEMÓRIA AFIADA

Tranquilidade pode ser mais eficaz do que outras técnicas de memorização

Sabemos o quanto exercícios de raciocínio, leitura e a boa alimentação são benéficos para a memória. Porém, dar uma pausa diante das tarefas que executamos pode ser um ótimo artifício para guardarmos de maneira duradoura as informações acumuladas ao longo do dia.

Um estudo recente da Universidade de Nova York (EUA) mostrou que períodos de total descanso, após o aprendizado, são capazes de afiar a memória. Os cientistas vão contra a ideia de que pensar demais em algo que acabou de ser aprendido é mais eficiente do que descansar para se obter um melhor armazenamento das informações.

Enquanto estudos mais antigos concluíram que tirar uma soneca favorece a memória, esta nova pesquisa comprovou que momentos de relaxamento, mesmo quando estamos acordados, também podem ser bastante eficazes. Isso porque os períodos de descanso são importantes para as informações serem transferidas entre as regiões do cérebro.
O estudo foi feito com 19 voluntários que tiveram que observar imagens de objetos e de pessoas, devendo responder qual relação havia entre as figuras.

Então, os participantes recebiam ordens para relaxar durante alguns minutos, enquanto eram medidas as atividades cerebrais relacionadas à transferência de informações entre o hipocampo (responsável pela memória e organização dos episódios vivenciados) e o neo-córtex (que assume as tarefas cognitivas mais complexas).

Durante os testes, foi observado que as duas regiões se mantêm ativas mesmo durante o descanso.
Mas o que fazer para conseguir que os momentos de relaxamento sejam realmente eficientes?
Muitos diriam uma paradinha para o café.

Entretanto, segundo especialistas, este tipo de pausa pode não ser o ideal. A melhor sugestão é parar e não fazer absolutamente nada por alguns minutos, descontraindo e deixando as informações fluírem, sem forçar o raciocínio. Fazer uma prática de yoga de relaxamento seria o ideal.

Fonte: Revista O Atma nº 192

Criado em 7 de março de 2017